sábado, 24 de dezembro de 2016

O VERDADEIRO SIGNIFICADO DO NATAL


"Glória a Deus nas alturas, e paz na terra aos homens aos quais ele concede o seu favor". Lucas 2:14
A PAZ FOI ANUNCIADA
A paz anunciada pelos anjos era baseada no nascimento do salvador prometido por Deus, que deveria reinar na cidade de Davi.
Os anjos não anunciaram apenas a paz vindoura para mundo inteiro, mas também a paz individual para os homens a quem Ele quer bem.
Isaías 9:6
JESUS:PRINCÍPE DA PAZ
Primeiro precisamos compreender a função de um príncipe em um reinado. O rei tem a função de governar todo o reino, mas o príncipe, que está sendo preparado para ser rei, pode já fazer um papel de mediador em uma província quando necessário. O rei governa um todo, mas o príncipe pode representar as aspirações e as necessidades da nação, na qual Ele é o intermediário entre o rei e o povo. Jesus não é o Rei da Paz, mas o Príncipe da Paz.
JESUS NÃO VEIO PARA REINAR
Jesus em sua primeira vinda não veio para reinar, mas para mediar a paz entre os homens e Deus; e isto não entendeu a nação de Israel.
E que, havendo por ele feito a paz pelo sangue da sua cruz, por meio dele reconciliasse consigo mesmo todas as coisas, tanto as que estão na terra, como as que estão nos céus. A vós também, que noutro tempo éreis estranhos, e inimigos no entendimento pelas vossas obras más, agora contudo vos reconciliou no corpo da sua carne, pela morte, para perante ele vos apresentar santos, e irrepreensíveis, e inculpáveis"
(Col. 1.20-22
Jesus é o Príncipe da Paz.
Ele é o testemunho da boa vontade de Deus para com os homens. Jesus Cristo é o príncipe enviado pelo rei para buscar a paz com os homens
Deus enviou Jesus em paz; Ele é o Príncipe da paz. O Príncipe da Paz veio mediar a nossa paz com Deus, e agora vem ser a nossa paz.
Deus enviou Jesus em paz; Ele é o Príncipe da paz. O Príncipe da Paz veio mediar a nossa paz com Deus, e agora vem ser a nossa paz.
Agora a paz com Deus não é um estado ou uma circunstância.
Deixo-vos a paz, a minha paz vos dou; não vo-la dou como o mundo a dá. Não se turbe o vosso coração, nem se atemorize" (João 14.27).
Agora o Príncipe da Paz vive em nós, e nos leva a viver em paz!
Por amor da verdade que está em nós, e para sempre estará conosco: Graça, misericórdia e PAZ, da parte de Deus Pai e da do Senhor Jesus Cristo, o Filho do Pai, seja convosco na verdade e amor" (II João 1.2-3).
O REINO DA PAZ CHEGOU ENTRE OS HOMENS DE BOA VONTADE.

quarta-feira, 9 de novembro de 2016

COMO ENTENDER OS VENTOS CONTRÁRIOS

: Mateus 14:22-33 
22 Logo em seguida, Jesus insistiu com os discípulos para que entrassem no barco e fossem adiante dele para o outro lado, enquanto ele despedia a multidão.
23 Tendo despedido a multidão, subiu sozinho a um monte para orar. Ao anoitecer, ele estava ali sozinho,
24 mas o barco já estava a considerável distância da terra, fustigado pelas ondas, porque o vento soprava contra ele.
25 Alta madrugada, Jesus dirigiu-se a eles, andando sobre o mar.
26 Quando o viram andando sobre o mar, ficaram aterrorizados e disseram: “É um fantasma!” E gritaram de medo.
27 Mas Jesus imediatamente lhes disse: “Coragem! Sou eu. Não tenham medo!”
28 “Senhor”, disse Pedro, “se és tu, manda-me ir ao teu encontro por sobre as águas”.
29 “Venha”, respondeu ele. Então Pedro saiu do barco, andou sobre as águas e foi na direção de Jesus.
30 Mas, quando reparou no vento, ficou com medo e, começando a afundar, gritou: “Senhor, salva-me!”
31 Imediatamente Jesus estendeu a mão e o segurou. E disse: “Homem de pequena fé, por que você duvidou?”
32 Quando entraram no barco, o vento cessou.
33 Então os que estavam no barco o adoraram, dizendo: “Verdadeiramente tu és o Filho de Deus”.

INTRODUÇÃO:
Deus havia dado aos discípulos o privilégio de viver um grande milagre. Eles estavam sendo preparados para atingir um nível de fé que tivesse discernimento, que fosse capaz de entender a força do vento; em um nível de unção superior,  de possuir no espírito a percepção daquilo que o Senhor preparou para eles. Os discípulos estavam sendo chamado amolecer o coração e se deixar levar pelas ondas do Espírito. Hoje nos também somos chamados para andar na dimensão de Ruah Javé (força, que significa vento forte, impetuoso, ânimo, dinamismo). Esta ideia de movimento subsiste nas várias concepções do AT sejam no texto hebraico, no grego (pneuma) ou no latino (spiritus).
Vejamos Ruah Javé na criação do homem: Então o Senhor Deus for­mou o homem do pó da terra e soprou em suas narinas o fôlego de vida, e o homem se tornou um ser vivente. (Gênesis 2:7)

A presença do “vento” denota claramente que toda humanidade está entorpecida por um “vento”, que é o hálito, um “sopro” de Ruah Javé; que pode ser compreendido como o Espírito de Deus em Movimento.
O hálito de Ruah Javé está presente em toda obra da criação e o seu impacto original ainda é o mesmo, podendo ser encontrado nas experiências, cuja força transcende aos limites humanos. Deus usa o “vento” para levantar os que estão no pó da terra e abater os presunçosos por meio da força do vento.
Mas os egípcios são homens, e não Deus; seus cavalos são carne, e não espírito. Quando o Senhor estender a mão, aquele que ajuda tropeçará, aquele que é ajudado cairá; ambos perecerão juntos. (Isaías 31:4)

Ruah é empregado muito mais como o espírito vivificante, animador, fortalecedor, ímpeto, inspiração de alguém que já possui a força vital  e divina.

No próprio êxodo, o povo de Deus pode dar testemunho que “Ruah” ( a força do vento) soprou e destruiu os egípcios e fez os seus inimigos retroceder. Pelo desterro e pelo exílio o julga, com seu sopro violento ele o expulsa, como num dia de rajadas do vento oriental. (Isaías 27:8) Com o seu poder Ele acalma o mar o mar, e com seu entendimento abateu Raabe. Por isso o eu sopro (espírito) aclamou os céus (Jó 26:12,13)

Andar sobre as águas é caminhar numa dimensão sobrenatural. Pedro caminhou desta maneira. Mas vemos na palavra que havia tempestade, a “força do vento”, ou seja, a dificuldade levaria Pedro a superar os limites normais do ser humano, crendo no impossível que era andar sobre as águas.
Jesus enviou os discípulos para ao mar para enfrentar dificuldades, pois sabia e conhecia o caminho do “vento”. Precisamos entender que o plano de Deus é nos enviar ao mar da vida, com o propósito de nos ensinar como enfrentar dificuldades, para amadurecer e crescer. Nestes momentos o Senhor abre nossos olhos para adquirirmos capacidade de perceber sua presença na água e no vento.
Enquanto os discípulos estavam ao lado de Jesus, a visão estava fora da realidade espiritual, por que a nossa visão está circunscrita as nossos perspectivas pessoais. Os discípulos viram o milagre da multiplicação dos pães; mas eles não enxergavam!

Dentro de um frágil barco, no mar da vida...

1-O barco pode ser compreendido como sento o lugar que nos oferece segurança emocional - Jesus desejava encimar os seus seguidores que não há lugar seguro sem a sua presença. Seu trabalho, dinheiro, profissão, amigos, negócios é uma falsa sensação de segurança e pode não resistir a uma tempestade.
2-O que temos que considerar no texto, é que os discípulos entraram no barco em obediência a uma ordem de Jesus. A ordem era atravessar o mar, no mar sempre estará presente o “vento”. A presença do “vento” pode mudar a atmosfera da viagem; o movimento vertical do “vento” pode invocar as leis naturais gerando assim uma tempestade sem precedente. Más, o problema não é a presença do “vento” ou da tempestade. O problema é o nosso coração conturbado que provoca turbulência, convulsões na alma humana; que nos leva a colocar fé e esperança no lugar errado. Assim sendo o ronda os nossos corações, e é importante saber que o medo não é um sentimento, mas um espírito que vem pra roubar, matar e destruir; é o ladrão da nossa alegria.

O medo está presente no dia a dia da maioria das pessoas. Existem vários níveis de medo, desde a noção de perigo diante de algum risco, até o complexo, pavor, fobia ou síndrome do pânico. O medo sempre é baseado num exagero ou numa mentira de satanás para aprisionar as pessoas. Por isso é preciso desmascarar estas mentiras com a verdade da Palavra de Deus, que liberta (“Porque Deus não nos deu o espírito de medo, mas de poder, e de amor, e de moderação” (II Timóteo 1:7)).

Três fatores opostos ao medo:

O poder Ele já nos deu: “Eis que vos dou poder para pisar serpentes e escorpiões, e toda a força do inimigo, e nada vos fará dano algum” (Lucas 10:19). Mas isso está condicionado a tomarmos isso como verdade e vivermos.

O amor espanta o medo: “No amor não há temor, antes o perfeito amor lança fora o temor; porque o temor tem consigo a pena, e o que teme não é perfeito em amor” (I João 4:18).Quem tem medo não pode viver o amor de Deus, não vive a plenitude de Deus. Quem ama não pode ter medo.

A moderação é o equilíbrio. “Seja a vossa moderação conhecida de todos os homens. Perto está o Senhor” (Filipenses 4:5). A ausência do medo faz com que não tomemos medidas precipitadas. O amor concedido a nós por Deus nos revela aquilo que é correto.

Jesus no monte e os discípulos no mar, o que podemos aprender?

A tempestade pode nos assolar em qualquer lugar, seja em terra seca o nas ondas bravias do mar. O que vai fazer a diferença é onde está ancorada a nossa confiança.

Jesus estava no monte, orando pelos seus discípulos!
O “vento” impetuoso será sempre uma ferramenta educativa de um Pai amoroso, que nunca vai nos abandonar quando os ventos forem contrários; por que Ele está no vento e sobre as águas.

Mc 6.52  porque não haviam compreendido o milagre dos pães; antes, o seu coração estava endurecido.
Os discípulos não tinham entendido nada, porque, eles estavam agindo como homens naturais. Há muita gente que na hora da agitação, na hora que o barco começa a passar pelas adversidades, ele despreza o envio de socorro, a ausência da fé compromete a visão e passam a ver “fantasmas”; eles não consegue enxergar Ruah Javé no “vento”.É importante saber que as blasfêmias, colocam em erupção um vulcão de dificuldades e se tornam receptíveis a toda sorte de malignidade. Porque falta o discernimento!
Deus se importa com os ventos contrários que está assolando sua vida! Ele se importa com as dificuldades que você passa! Ele vai ajudar você entender os ventos contrários. Se você quiser entender os ventos contrários como homem natural não chegará a lugar algum, mas se você olhar pela perspectiva de Deus saberá que Deus é um Deus de propósitos, que Ele está agindo e que “todas as coisas cooperam para o teu bem daqueles que amam a Deus e que foram chamados pelo seu decreto”.
Então você vai passar pela adversidade, andando sobre as águas!

A intenção de Jesus era quebrar a carnalidade de Pedro, e fazer com que ele andasse sobre as águas. Porque se não houvesse o barco da aflição, se não existissem as ondas e se o entendimento espiritual, Pedro alterado, não andaria sobre as águas.
Seja qual for à luta que você está passando, seja qual for o barco da tua aflição, entenda que o Senhor  Senhor está nas águas e nos ventos contrários; pare de murmurar e reclamar da sua sorte.

 VOCÊ ENTENDE OS VENTOS CONTRÁRIOS NA SUA VIDA QUANDO:
A) Sabe que quem mandou deu AUTORIDADE PARA  VOCÊ VENCÊ-LOS.
Eis aí vos dei autoridade para pisardes serpentes e escorpiões, e sobre todo o poder do inimigo, e nada de modo algum vos fará mal.
Lucas 10:19
 Resista, continue porque a barreira invisível que o inimigo colocou, vai cair e você vai andar livremente.

B) QUEBRA A DUREZA DO SEU CORAÇÃO.
Deuteronômio 8.2-5 Recordar-te-ás de todo o caminho pelo qual o SENHOR, teu Deus, te guiou no deserto estes quarenta anos, para te humilhar, para te provar, para saber o que estava no teu coração, se guardarias ou não os seus mandamentos. Ele te humilhou, e te deixou ter fome, e te sustentou com o maná, que tu não conhecias, nem teus pais o conheciam, para te dar a entender que não só de pão viverá o homem, mas de tudo o que procede da boca do SENHOR viverá o homem.  Nunca envelheceu a tua veste sobre ti, nem se inchou o teu pé nestes quarenta anos. Sabe, pois, no teu coração, que, como um homem disciplina a seu filho, assim te disciplina o SENHOR, teu Deus.

Os ventos contrários servem para que você entenda o que há no seu coração. Deus conhece o seu coração, mas lamento dizer que você não as conhece! Só podemos entender o que há em nosso coração quando é provado pelo fogo, água e o vento. Deus o conhece muito bem, porém o barco da aflição era para que  os seus discípulos soubessem entender a fragilidade de seus corações, e o fato de que eles não podiam se achar super-homens, mas que eram carentes do Poder e do cuidado de um Pai amoroso.
Hoje pode ser o dia da luta, pode ser o dia da angústia, mas hoje também pode ser o dia do livramento, o dia da sua vitória!

C) DEIXA DE ENXERGAR FANTASMAS.
Mt 14.26 E os discípulos, ao verem-no andando sobre as águas, ficaram aterrados e exclamaram: É um fantasma! E, tomados de medo, gritaram.
Fantasma é tudo o que traz desespero e medo do desconhecido. A pequenez e o conformismo limitam o crescimento. Níveis superiores exigem atitudes diferentes, significa enfrentar novos desafios, ter novas experiências, fazer e viver o que nunca foi feito ou vivido. O mar agitado e o vento contrário representam tudo o que foge ao controle humano, mas neste novo nível temos autoridade para superá-los. Deus não manda fantasmas para nos destruir, mas, nosso coração é quem os criam. Tudo depende do filtro do Espírito em nós e vamos então identificar os fantasmas, seremos surpreendido que é Jesus vindo em sua direção; esse é o momento de renovar a sua mente e filtrar a visão e seu coração encontrará paz quando identificar os fantasmas da sua vida.

D) COMPREENDENDO OS VENTOS CONTRÁRIOS.
Romanos 8: 28 E sabemos que todas as coisas concorrem para o bem daqueles que amam a Deus, daqueles que são chamados segundo o seu decreto.

CONCLUSÃO:

Com a visão transformada e a audição restaurada, você terá outra disposição diante das adversidades:
·         - Glorifica a Deus em todas as situações;
·         - Livre-se da revolta e da  raiz de amargura;
·         - Vivencia os maiores milagres da sua vida;
·         - Permanece caminhando na certeza de que o “mar” vai se abrir;
·         - A alegria vai mudar o cenário e sairá fortalecido no Senhor.


segunda-feira, 31 de outubro de 2016

MENTE ESPIRITUAL RENOVADA


Eu inicio falando do pensamento do escritor Robson Thompson; Ele diz: “Eu não acredito que alguém possa dominar a si mesmo, sem antes ter dominado a sua mente”.
O mundo está sempre nos oferecendo conselhos que nos auxilia na mudança do estereótipo, no entanto, a raiz do problema esta dentro de cada um de nós. A transformação na verdade começa quando mudamos nossa maneira de pensar, ouvir, falar; que consequente mente ira mudar o contorno a nossa volta e afetar o meio em que vivemos.
O alvo de Satanás é a minha mente.
Toda batalha é travada nas fronteiras da mente, da alma e do coração humano.
Há muitas mentiras sobre a verdade e esse colorido obvia danifica a nossa capacidade de percepção, na aplicação dos princípios para interpretação dos valores eternos.
O Apostolo Paulo tinha um receio (Sentimento de temor quando confrontado com algo de extremo perigo). Ele diz: “O que receio, e quero evitar, é que assim como a serpente enganou Eva com astúcia, a mente de vocês seja corrompida e se desvie da sua sincera e pura devoção a Cristo.” 2 Coríntios 11:3
Se Satanás conseguir controlar minha mente, controlará toda a minha vida. É necessário muita atenção,  por que “se ele não conseguir controlar toda minha mente ficará satisfeito em controlar o que eu permitir”. Por isso Paulo diz em Tiago 1:8 que o homem que tem a “mente dividida” é instável em tudo o que faz.

A melhor e mais segura forma para guardar a mente, alma e o coração é usar a armadura de Deus, que contem o “capacete da salvação”. No demais, irmãos meus, fortalecei-vos no Senhor e na força do seu poder.Revesti-vos de toda a armadura de Deus, para que possais estar firmes contra as astutas ciladas do diabo.
Efésios 6:10,11

A transformação da mente é uma prova contundente, de que de fato eu nasci da Água e do Espírito, por que agora tenho a mente de Cristo e ela esta guardada em Deus. Sem a transformação da mente os meus ouvidos não tem o filtro do Espírito Santo, logo eu falo do que o coração está cheio. O nascido do Espirito, ou seja, nascido de novo, se conhece pelos seus pensamentos, porque sua boca manifesta os seus pensamentos que é resultado dos seus olhos veem e  da audição.

Os olhos são como uma luz para o corpo: quando os olhos de você são bons, todo o seu corpo fica cheio de luz. Porém, se os seus olhos forem maus, o seu corpo ficará cheio de escuridão.Portanto, tenha cuidado para que a luz que está em você não seja escuridão. Pois, se o seu corpo estiver completamente luminoso, e nenhuma parte estiver escura, então ele ficará todo cheio de luz como acontece quando você é iluminado pelo brilho de uma lamparina.(Lucas 11:34-36)

Temos que considerar a diferença entre “conformar-se”  ou  ser  “ conformado”, que na  palavra grega  significa “ter o mesmo contorno”, ou seja a mesma forma. Quando somos “conformados” não há exigência de mudanças externas (contorno).
Nesses 40 anos de ministério pastoral, tenho observado que existe dentro das nossas igrejas um problema grave que precisa ser enfrentado com muito cuidado e sabedoria. Qual é o problema? As pessoas nascem de novo, aceitam Cristo como seu salvador; a Bíblia diz que eles foram gerados de novo, e a Bíblia não mente! Mas a pergunta é: “por que o contorno da vida dessas pessoas não tem mudado”? Por que ainda há tanta mediocridade no meio da igreja de Cristo?

Se olharmos para o crescimento numérico de evangélicos na América Latina é animador, no entanto a sociedade não pode testemunhar essa transformação no caráter, comportamento e valores desses novos crentes. Os rumores são os mesmos como descreve a carta de Paulo aos (Gálatas 5:19-21)  Porque as obras da carne são manifestas, as quais são: adultério, fornicação, impureza, lascívia, Idolatria, feitiçaria, inimizades, porfias, emulações, iras, pelejas, dissensões, heresias,
Invejas, homicídios, bebedices, glutonarias, e coisas semelhantes a estas, acerca das quais vos declaro, como já antes vos disse, que os que cometem tais coisas não herdarão o reino de Deus.
O contorno dessas pessoas que nasceram da “água do batismo” é o mesmo. Se essas pessoas não foram transformadas é certo de que não poderão transformar o mundo; o "contorno".
Diante dos resultados, a única conclusão óbvia é: O novo nascimento para maioria dos cristãos ainda é uma utopia!

Considera então comigo: Se nasci de novo eu preciso agora “crescer”. Quando não crescemos, lamento dizer: a "mente"  dessa pessoa é hipócrita e retardada, porque ela professa uma convicção de fé da qual não vive”.
Se considerarmos que o novo nascimento é algo maravilhoso, e que toda igreja “Cristo Cêntrica”, trabalha para alcançar esse objetivo, de  elevar  pessoas a experimentarem a “renovação da mente”,  ficarem  livres da acusação do pecado, e experimentarem a boa, perfeita e agradável vontade de Deus; se esse objetivo não tem sido alcançado temos fracassado e inútil tem sido todos os nossos esforços.

A questão é: As pessoas que nasceram tiveram um crescimento emocional, intelectual e espiritual? Se haver em uma igreja um berçário cheio de recém-nascidos,isso deve ser motivos de celebração e alegria, no entanto ter um berçário cheio de crianças retardadas é um problema grava sem precedentes.

O ciclo de cada estação da vida natural e espiritual tem que obedecer um crescimento, em que permite viver intensamente a minha infância, adolescência, juventude, maior idade e melhor idade. O crescimento traz equilíbrio. Quando lidamos ou nos relacionamos com pessoas com 30 anos de idade, mas tem mentalidade de 10, não é possível tratarmos as questões relacionadas a vida no mesmo nível. Repito: Crescimento são as fases que envolvam a vida natural e espiritual.
Paulo nos dá um parâmetro para entendermos o novo nascimento: Quando eu era menino, falava como menino, pensava como menino e raciocinava como menino. Quando me tornei homem, deixei para trás as coisas de menino. (1 Coríntios 13:11)

Conclusão:
Portanto, se já ressuscitastes com Cristo, buscai as coisas que são de cima, onde Cristo está assentado à destra de Deus.
Pensai nas coisas que são de cima, e não nas que são da terra;
Porque já estais mortos, e a vossa vida está escondida com Cristo em Deus.
Quando Cristo, que é a nossa vida, se manifestar, então também vós vos manifestareis com ele em glória.
Colossenses 3:1-4
Paulo falando aos irmãos de Colosso, diz que a nova vida é conhecida quando manifesta por meio dos nossos pensamentos. Ele fala de uma  Conexão Celestial com aquele que está assentado a destra de Deus Pai. Ele fala também que quando a manifestação da graça de Deus for real na mente, a manifestação da gloria de Deus se torna visível e inerente ao comportamento daqueles que nasceram de novo.
Enquanto o mundo e seus valores ocuparem a primazia em nossas decisões diárias, é certo que ainda reina o pecado e somos apenas um pecador molhado pelas águas do batismo; Sendo a mesma pessoa, vivendo em seu estágio de infantilidade cristã.
Em resposta, Jesus declarou: "Digo a verdade: Ninguém pode ver o Reino de Deus, se não nascer de novo".(João 3:3) 
Quando nascemos de novo a visão, audição e a maneira de falar será afetado pelo filtro do Espirito e ai então as fronteiras da mente, alma e coração estarão protegidas.

Páginas